Pesquise aqui uma postagem do Blog Jornada Tripla

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

SINTRAJUFE-RS - Esclarecimentos da gestão 2010/2013


Esclarecimentos da gestão 2010/2013 do Sintrajufe/RS sobre a matéria divulgada no site do Sindicato com o título “Após derrota, antiga direção raspa o cofre e deixa Sintrajufe/RS em dificuldades financeiras”


A matéria sensacionalista, com origem em uma persistente "síndrome de oposição" que ainda acomete a atual direção, necessita dos devidos reparos para recomposição da verdade, em nome da responsabilidade que sempre pautou nossa atuação no Sintrajufe.

A festa de fim de ano foi cancelada porque a atual direção criticou formalmente o fato de já termos reservado o local e contratado a banda que animaria a festa. Ressaltamos que isso foi feito, como nos anos anteriores, pois esse tipo de evento, em um período concorrido para festas (dezembro), precisa ser organizado com tempo razoável de antecedência. No entanto, diante do questionamento formal da atual direção, ainda durante a transição, houve o cancelamento dos contratos do salão com a AABB e da banda com a Dublê Produtora, sem qualquer prejuízo para o sindicato, com a devolução integral dos valores que já haviam sido pagos, ao contrário do que foi divulgado.

Há uma divergência política entre nossa gestão e a atual sobre a filiação ou não à CUT, tema que deve ser pautado para o devido debate democrático na categoria, de forma serena, crítica e aprofundada. No entanto, essa divergência não pode ser utilizada para o descumprimento das responsabilidades do sindicato, a partir das posições tomadas pela categoria, como a matéria quer insinuar. Houve mudança de direção, mas o Sintrajufe permanece filiado à CUT até deliberação congressual da categoria em sentido contrário. 

Em razão das últimas greves, houve um acordo para parcelamento do pagamento de mensalidades do período do movimento grevista. Estabelecemos uma negociação com a CUT para quitar a dívida, na qual obtivemos um bom desconto do valor pendente e decidimos, dentro de parâmetros legais de quem está na direção, não deixar essa dívida. Ressaltamos que se tratava de dívida passada. Não houve adiantamento de pagamento, como afirma uma das manifestações dos novos dirigentes. Neste ponto, reafirmamos que não podemos fazer, no espaço do debate político, insinuações sobre as finanças e os compromissos do sindicato.

Também não procede a afirmação de que o Sintrajufe teria corrido o risco de não participar dos encontros nacionais da Fenajufe, o que demonstra pouco conhecimento das regras da federação por parte da nova direção. Sindicatos ainda maiores que o Sintrajufe/RS e entidades com direção alinhada politicamente ao Conlutas/PSTU/PSOL, grupo que atualmente dirige o Sintrajufe, devem valores maiores à federação do que o nosso sindicato e nem por isso foram impedidos de participar das instâncias da federação. A participação das entidades foi possível mediante negociação estabelecida, inclusive através de dirigentes que representam o nosso campo político na Fenajufe.

Além disso, outras entidades negociaram o parcelamento do rateio destinado às despesas com as delegadas e delegados da Plenária em maior número de vezes, o que foi aceito por unanimidade pela direção da federação, que é proporcional e possui representantes de todas as forças políticas que militam na categoria. Até porque a Plenária Extraordinária de agosto passado foi resultado de uma inversão de prioridades, o que deixou a nova direção da federação, eleita no último Congresso em abril, sem a posição da categoria sobre questões como luta pela reposição das perdas, PJe, saúde, carreira, PEC 190 e mais um enorme rol de questões urgentes. Naquele Congresso, a prioridade desses setores foi a desfiliação da Fenajufe da CUT, em prejuízo da pauta de reivindicações da categoria.

Quanto à dispensa das funcionárias do sindicato, foram medidas avaliadas como necessárias pela gestão anterior, mas entendemos que não se deve tratar desse tipo de assunto desta forma, inclusive pelo direito das pessoas envolvidas. 

No tocante a pontos envolvendo o Acordo Coletivo das funcionárias e dos funcionários do sindicato, se há algum questionamento este deve ser enfrentado pela nova direção do Sintrajufe com o sindicato dos seus trabalhadores na próxima negociação da data-base dos mesmos.

Para a gestão anterior, o que a atual direção chama pejorativamente, e com estardalhaço sensacionalista, de "raspar os cofres", nós definimos como sendo o cumprimento de todos os chamamentos de luta da Federação para defender os interesses da categoria; o cumprimento da entrega de uma nova sede, equipada e hoje avaliada em 3 milhões de reais, com vários benefícios para a categoria como salão de festas, alojamento para os colegas do interior, melhores condições de atendimento presencial e de condições de trabalho para os funcionários; o cumprimento da promessa de expansão das oficinas e do espaço cultural do prédio antigo da sede, com projeto pronto para abrigar um cinema, um café, entre outros espaços culturais e de organização, em benefício da categoria. Nós chamamos isso de investimento responsável dos recursos da categoria.

Por outro lado, a mesma postura com relação a finanças não foi adotada pela nova diretoria. Na festa da posse do último dia 31 de agosto, a atual direção autorizou serviços de aproximadamente R$ 35.000,00, gastos todos autorizados e comprovados em documentos assinados por representante da atual direção, ainda no processo de transição. Só para exemplificar, o evento de posse da gestão anterior, em agosto de 2010, custou R$ 13.985,00. Além disto, a ostensiva presença de pessoas representando partidos políticos e outras entidades da mesma força política da nova gestão superou consideravelmente a presença de colegas da categoria.

Por fim, precisamos destacar que uma Comunicação Sindical séria e transparente jamais usa o artifício de editar uma matéria informativa após sua publicação. Admite-se uma 'nota explicativa', uma 'errata', ou até uma nova matéria corrigindo a anterior. Mas editar o que já foi publicado, como se nunca o tivesse sido, caso da citada matéria onde, em uma segunda versão, foi excluída a citação às críticas à festa do final de ano, demonstra um posicionamento ético no mínimo questionável sobre a comunicação e a transparência de uma direção sindical para com a sua categoria, além de indicar claramente a linha política da nova direção do Sintrajufe/RS.


Direção Sintrajufe/RS - Gestão Viva Voz 2010/2013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário no blog Jornada Tripla. Se tu te identificares, poderemos dialogar.